Ainda sobre as eleições:

outubro 1, 2006

Não me causa nenhum espanto esta matéria da FSP: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u84171.shtml.

Chamo a atenção para este trecho ”Mas entre os que prometem renovar a Câmara, o analista reconhece que eles estarão divididos em três categorias: artistas que se destacaram em programas de TV, filhos de políticos famosos e bispos de Igrejas Evangélicas”.

Estamos feitos senhores(as). Acabados. Dentre os candidatos à câmara federal por São Paulo, Maluf e Clodovil estão entre os mais votados. Frank Aguiar é outro que deve se eleger. O Serra se elegeu governador em SP (danou-se a USP!) e aparentemente haverá segundo turno para a presidência também… com o Alckmin! O Collor também será eleito!

O Brasileiro não sabe votar. Não adianta gente, sem educação não tem revolução (não confundam, isso não é o Cristovam Buarque). Chega a ser cínico o cenário político posterior ao pleito. E temo que isto não seja nem voto de protesto.

Bah! Ainda bem que estou em pleno dia útil. Mas notícias como esta dão um sabor amargo a este fim de tarde.

Pois é senhoras(es), na hora do pleito vale tudo. Até sujar as ruas das cidades deste país.  

porquinhos001.jpg

E eles estão falando em golpe. Muito cuidado minha gente.

Por que temer a direita?

outubro 1, 2006

Ouçam senhoras(es) http://veja.abril.com.br/idade/podcasts/mainardi/audios/280706.mp3

Se dizem defensores da democracia, mas defendem um “tapetão” no caso de uma vitória do adversário. Um deles chegou a se declarar golpista. Que medo!

O que será de nós após o pleito?